Barueri_show

Moradores do bairro da Aldeia em Barueri e catadores de materiais recicláveis da região realizaram no dia 10 de julho uma manifestação contra a construção de uma usina de incineração de lixo na cidade. A marcha percorreu as ruas da Aldeia, bairro as margens do Rio Tietê onde pode ser construído o incinerador, reunindo cerca de 300 pessoas.  O destino foi a Câmara Municipal de Barueri, onde foi realizado o 1º Fórum Regional de Soluções para Resíduos Sólidos que contou com a presença de Dan Moche Scheneider, especialista em de saúde ambiental e resíduos sólidos, Virgílio Farias, especialista em direito ambiental, e o diretor da empresa Foxx U.R.E., Alexandre Citvaras, vencedora a licitação para construção do incinerador em Barueri, primeiro desse tipo a ser construído no Brasil.

A Prefeitura de Barueri pretende incinerar 97% dos resíduos da cidade e reciclar apenas 3%, além de queimar também resíduos das cidades de Santana do Parnaíba e Carapicuíba. A proposta contraria a Política Nacional de Resíduos Sólidos, que dá prioridade a redução e reciclagem com inclusão social, além de normas do Conama e da ONU.

Os moradores já recolheram mais de 2 mil assinaturas contra a construção do incinerador no Bairro e têm distribuído para os demais moradores cartilhas explicativas sobre os males causados pela queima do lixo para a saúde das pessoas que vivem no entorno desses empreendimentos.

Vaias

O representante da empresa FOXX URE, Alexandre Citvaras, foi vaiado pelo público presente no Fórum, assim como o presidente da Câmara Municipal de Barueri, o vereador Sebastião Carlos do Nascimento, “Carlinhos do Açougue”, que tentou defender a empresa declarando que os moradores estavam sendo manipulados por sindicatos.  Os moradores ficaram indignados com a declaração e o vereador foi hostilizado.

Vereador Carlinhos do Açougue foi vaiado

 

9 thoughts on “Moradores de Barueri protestam contra construção de incinerador de lixo

  1. Protassio

    Em Mogi das Cruzes existe um movimento contrario a um aterro sanitario e favoravel a uma usina .Q vcs acham ?

    1. You get a lot of respect from me for writing these helpful arclites.

  2. Luís Alberto Migliorini

    Vale o bom senso, reciclar o que for possível e incinerar o restante que for toxico e contagioso. O certo é que devemos acabar com os aterros sanitários. Beto.

  3. Luiz Fortunato

    Bem, quero afirmar aqui que a FOXX não foi a vencedora da PPP, por que ela primeiro fez o estudo de viabilidade sem concorrência nenhuma, colocando neste estudo a um custo de 1 milhão e 600 mil, de quem ganha-se a PPP pagaria o estudo, Oras como fazer um estudo e depois cobra-lo? Depois fizeram a PPP, baseado em um estudo feito pela FOXX, portanto onde esta a legitimidade disto?? Ela a FOXX não deveria fazer o estudo de viabilidade, se fez não poderia participar da PPP. Incineração não e a melhor solução, ainda mais no contrato diz que a prefeitura de Barueri pagara no minimo 200 toneladas obrigatoriamente para a usina, ou seja, se a prefeitura reciclar e sobrar apenas 50 toneladas para serem incineradas ela tera que pagar 200 toneladas. Quem assinou este contrato, por que isto esta lesando os cofres públicos. Incineração so traz males a saúde, o melhor caminho e a reciclagem, com a capacitação dos catadores e das cooperativas, e depois o resto seria tratado pela biodigestão. A gravimetria dos resíduos sólidos mostra que se fazendo a reciclagem o que sobra é orgânico em sua maioria. Reciclar e valorizar a vida, o meio ambiente e esta de acordo com a lei 12305/10, onde nos artigos 7, 8 e 9 é bem claro a indicação e o incentivo a reciclagem!

    1. Concordo em tudo com o Sr. Luiz Fortunato. Além de tudo que ele apontou, essa quantidade mínima de lixo para ser queimada mostra que a incineração em Barueri será concorrente da reciclagem. O nefasto nessa parceria é que a prefeitura se vê obrigada a garantir o lucro da Foxx e poluir ainda mais nosso ambiente.

      1. Stay intmeoafivr, San Diego, yeah boy!

      2. That’s a wise answer to a tricky question

  4. A Prefeitura de Barueri ignora a Política dos 5 R´s, preconizada por diversos organismos ligados ao meio ambiente, inclusive pelo Ministério do Meio Ambiente e pela sua própria Secretaria de Recursos Naturais e Meio Ambiente (antes da Parceria Público-Privada com a empresa Foxx) e aprova a construção de uma Usina de Incineração de Lixo no município.

    Para uma cidade que recicla apenas 3% de seus resíduos, parece claro que existem muitas formas anteriores, mais baratas e saudáveis, para minimizar o problema do lixo antes de queimá-lo. Incineração deve estar no final do processo de tratamento dos resíduos sólidos e não ser concorrente da reciclagem. Primeiro devemos REDUZIR a produção, REUTILIZAR os produtos dispensados e RECICLAR o máximo possível.

    A população de Barueri e dos municípios vizinhos – que também serão afetados, pois os gases tóxicos se dispersam de acordo com os ventos – tem que ficar atenta e exigir que a prefeitura recue e proponha soluções reais e não crie mais um problema para nós.

    Hoje, especula-se que essa usina queimará lixo de Barueri, Carapicuíba e Santana de Parnaíba. Não vamos permitir que essa seja a primeira de centenas de unidades espalhadas pelo Brasil e que a importação de lixo de países desenvolvidos seja uma forma dessas empresas lucrarem ainda mais.

Leave a Comment