original banner(b)
Nota lançada durante a Rio+20

18 de junho de 2012


Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis do Brasil, MNCR

Rede Latino-americana e do Caribe de Recicladores, REDLACRE

Aliança Global para Alternativas à Incineracão, GAIA

Enfrentamos a Rio+20 com a preocupação pelo curso que têm tomado as negociações oficiais nas Nações Unidas e as políticas impulsionadas pelos governos nas matérias ambientais, especificamente  no âmbito dos resíduos. Ao mesmo tempo, vemos com esperança o avanço de alternativas justas e sustentáveis impulsionadas pelas comunidades, os movimentos sociais e os catadores do mundo.

No dia 18 de junho de 2012, a Conferencia do Rio+20 produziu um texto em que se reconhece a importância de considerar os ciclos de vida dos produtos, e da necessidade de desenvolver políticas para uma maior eficiência energética e uma gestão de resíduos que prioriza a redução, o reuso e a  reciclagem. Mas o texto também defende igualmente a revalorização energética dos resíduos, uma frase que tipicamente se refere a tecnologias de destino final como a incineração e os aterros sanitários.  (ponto 220, texto 16 junho 17.45h, Rio de Janeiro).

Estas tecnologias são incompatíveis com uma gestão de resíduos sustentáveis porque não estão inspiradas em uma economia que cuida dos recursos e valoriza o bem estar das comunidades. Também, a produção de energia dos resíduos é uma promessa falsa, porque se conserva muito mais energia através da reciclagem e a redução do uso de materiais tóxicos e de baixa qualidade.

Como catadores de materiais recicláveis e organizações de base preocupados pela saúde humana e ambiental, demandamos a aprovação de um texto que tenha uma visão que promove a aplicação de políticas que priorizam soluções locais e que criam empregos sustentáveis para a comunidade, longe de favorecer as grandes corporações com soluções tecnológicas orientadas a falsas soluções como enterramento e incineração dos resíduos. O apoio a incineradores e soluções de destino final em geral, através de subsídios, mecanismos de carbono, etc., não é nada mais do que a aplicação de tecnologias caras, ineficientes e altamente perigosas para a saúde humana.

O futuro que queremos é um futuro livre de incineradores e aterros/lixões, um futuro em que todo o que pedimos à natureza devolvemos, e em que as comunidades e os catadores sejam os principais responsáveis por este trabalho.

www.mncr.org.br www.redrecicladores.net www.no-burn.org

Apoiam:
Salud sin Daño
Amigos de la Tierra El Salvador (CESTA)
Women International for a Common Future (WICF)
Amigos da Terra Àfrica do Sul (groundWork)
IPEN – um futuro livre de tóxicos
Sistema de Agua Potable de Tecámac, Estado de México, A.C.
APROMAC – Associação de Proteção ao Meio Ambiente de Cianorte,
TOXISPHERA – Associação de Saúde Ambiental
AMAR – Associação de Defesa do Meio Ambiente de Araucária
CAPA (Centro de Atención Primaria Ambiental) de Marcos Juárez, Córdoba
CAT , COMITE AMBIENTAL DE TONACATEPEQUE El Salvador,
Ciudad Saludable (Perú),
Ecositio (Argentina),
Consultoría Técnica Comunitaria AC (México)
BIOS (Argentina)
Movimiento Avance Santo Domingo (Costa Rica),
Taller de Comunicación Ambiental (Argentina),
Gibsons Recycling, British Columbia, Canada
DurhamCLEAR, Canada
Durham Environment Watch (DEW), Canada
Biomass Accountability Project, USA
East Michigan Environmental Action Council (EMEAC), USA
JA! Justiça Ambiental – Friends of the Earth Mozambique
Institute for Zero Waste in Africa, South Africa (IZWA)
Earthlife Africa Cape Town, South Africa
Communities Against Toxics UK
Mother Earth Foundation – Philippines
Marie Marciano, Saniblakas ng mga Aktibong Lingkod ng Inang Kalikasan – Philippines
Sanjay K Gupta (Ph D), Advisor and Consultant in Water, Sanitation and Livelihood, New Delhi – India
Grassroots Recycling Network, USA
Eco-Accord, Russia
Zero Waste Italy Network
Center for Environmental Solutions (CES), Belarus
Susan Hubbard, President & CEO, Nothing Left to Waste
Eureka  Recycling, USA
International Indian Treaty Council, USA
Bruce Trask, Director, Zero Waste Education, New Zealand
Consultoría Técnica Comunitaria AC – Chihuahua, México
Biofuelwatch
Ecological Alert and Recovery-Thailand (EARTH)
National Toxics Network, Australia
Armenian Women for Health and Healthy Environment, Armenia

Leave a Comment